Ligue grátis:
☎ +49 89 244473 702 (International)
Autohuur Spanje Car rental Spain Mietwagen Spanien Autohuur Spanje Biluthyrning Spanien Location de voitures Espagne Alquiler de coches España Autonoleggio Spagna Billeje Spanien Bilutleie Spania Autovuokraamo Espanja Aluguer de carros Espanha Wypożyczalnia samochodów Hiszpania Autovermietung Spanien Mietauto Spanien
Aluguer de Carros Espanha

Aluguer de Carros Espanha

Início

EasyTerra Aluguer de Carros Espanha é uma empresa independente. O nosso sistema compara as tarifas de empresas de aluguer de automóveis bem conhecidas em Espanha, assegurando assim que consegue reservar um automóvel de aluguer económico.

Onde deseja alugar automóvel?

Entrega noutro lugar?

Onde deseja entregar o seu carro alugado?

Data de recolha
às
Data de entrega
às
 
Pesquisar
Grandes Marcas. Enorme Escolha. Grande Poupança!

Informação de lugar para Espanha

Aluguer de automóveis Espanha
Aluguer de automóveis Espanha

Introdução

Espanha está situada no sudoeste da Europa e é um destino de férias popular para muitos turistas. Encontram-se magníficas praias e cidades históricas com uma arquitectura notável. A paisagem é diversificada e as temperaturas agradáveis. Em parte, é graças ao turismo que Espanha se tornou numa das economias mundiais mais importantes.

História

Durante a pré-história, Espanha foi habitada por vários povos. Os romanos conseguiram conquistar toda a Península Ibérica. Invadiram o país no século II AC e dominaram até ao século V DC. Os visigodos (povo germânico) tomaram o poder para ser derrotados pouco depois pelos mouros (muslim de África). A influência romana é ainda hoje a base da cultura de Espanha.

No tempo dos mouros existia uma cultura moura-espanhola centrada na cidade de Córdoba. A influência islâmica no sul de Espanha está presente ainda hoje. Os cristãos quiseram reconquistar Espanha e isto foi um longo processo. Em 1212, os mouros foram derrotados mas a sua cultura continuou a coexistir com a cultura cristã. Foi só em 1492 que a Espanha foi oficialmente unificada, e judeus e muslim foram convertidos ao cristianismo ou forçados a sair do país. Mais de 120.000 deixaram Espanha.

Tal como Portugal, Espanha levou a cabo viagens de descobrimento. Em 1492, Cristóvão Colombo, navegando sob a bandeira espanhola, descobriu a terra prometida da América. Durante o reinado dos Habsburgos no Século XVI, Espanha tornou-se uma potência mundial. Carlos V expandiu o seu poder sobre vários países. No século XVII (a Era de Ouro espanhola), o reino governou países europeus (como a Holanda e a Bélgica), bem como países noutras partes do globo, como Argentina, Chile e as Filipinas.

Após a Era de Ouro, Espanha começou a decair. O país foi assolado pela inflação e numerosas guerras. Lentamente, foi perdendo a suas colónias e o poder internacional. A queda do outrora poderoso império  deu origem a muita auto-crítica. Foi um tempo difícil de instabilidade política, pobreza e diferenças regionais. Isto acabou por conduzir à ditadura do general Francisco Franco. Espanha tornou-se uma república. Franco simpatizava com a Alemanha nazi e a Itália fascista. Apesar disso, o general conseguiu manter uma posição quase neutra durante a Segunda Guerra Mundial.

Em 1947, Franco restaurou a democracia. Em 1955, Espanha tornou-se membro das Nações Unidas, terminando com anos de isolamento. Nos anos 60, a economia espanhola floresceu e o país transformou-se gradualmente numa nação industrial moderna com uma prometedora indústria turística. Em 1975, morre o general Franco e Juan Carlos I tornou-se rei de Espanha. Em 1978, Espanha tornou-se uma democracia parlamentar. Nos anos 80, além da Catalunha e do País Basco, outras regiões também se autonomizaram. Para o movimento de libertação basco ETA, isto não foi suficiente e sucederam-se vários ataques terroristas.

Em 1982, Espanha tornou-se membro da NATO e, em 1986, membro da Comunidade Europeia (CE). O nacionalismo radical da ETA continua a causar problemas. Em 1998, foram anunciadas tréguas com a ETA. Um ano mais tarde, a situação voltou ao ponto anterior às tréguas. O terrorismo internacional também causou imenso pânico. Em 2004, Madrid foi atingida por vários ataques bombistas. Inicialmente a ETA foi acusada mas é bem provável que o Al-Qaeda estivesse por detrás dos ataques, pois a Espanha tinha enviado tropas para o Iraque. Após os ataques, as tropas foram retiradas do Iraque.

Sociedade e cultura

Espanha tem mais de 40 milhões de habitantes. O país está escassamente povoado e a maioria das pessoas vive nas nas urbanas ao longo da costa. Devido à ocupação por diferentes povos, a população é muito heterogénea. Como povos ancestrais estão, entre outros, ibérios, romanos, visigodos, berberes, celtas e vândalos. No nordeste do país estão os catalães e a noroeste os povos galego e basco. Existe também um grupo populacional chamado Gitanos, ou ciganos. Desde os anos 80 que muitos imigrantes entraram em Espanha, vindos da América do Sul, África e Europa de leste. O grande fluxo de imigrantes tem contribuído para a crescente economia do país.

A língua oficial é o castelhano, conhecido pela maioria como "espanhol". É uma língua românica influenciada pelo latim e outras línguas. Línguas regionais como o catalão, o galego, o basco e o aranês são também reconhecidos como línguas. Estas línguas regionais oficiais são ainda faladas em vastas zonas do país. Além destas línguas, existe também uma variedade de dialectos. Nas zonas turísticas os residentes estrangeiros e  os empregados no ramo turístico, falam também alemão e inglês.

O catolicismo romano é a religião dominante. Mais de 80% da população é católica-romana. Esta alta percentagem deve-se em parte ao general Franco que obrigou as pessoas a converter-se ao cristianismo. Muitas são oficialmente católica-romanas mas não praticantes.Hoje em dia,  cada vez menos espanhóis são atraidos pela igreja. Cerca de quatro milhões já não segue nenhuma religião e há 800.000 muslim. Embora a igreja católica-romana se tenha oposto a casamentos entre o mesmo sexo, a maioria da população espanhola votou a favor. Isto demonstra que a influência da igreja  está a desvanecer. As zonas rurais ficaram para trás das zonas urbanas. Nas áreas rurais, ainda se fazem peregrinações a lugares santos.

A cultura vigente tem a sua origem nos tempos romanos. No entanto, a cultura espanhola não é uniforme. As várias (e algumas semi-autónomas) regiões têm por vezes a sua própria língua e cultura. Muito frequentemente as pessoas sentem-se ligadas tanto à sua cultura regional como à nacional. Os espanhóis são conhecidos como um povo amigável. Há festivais nacionais que são celebrados entusiasticamente. Apesar dos protestos, continuam as touradas. O país tem também artistas famosos. O arquitecto António Gaudí tornou-se mundialmente famoso. A maioria das pessoas também ouviu falar dos pintores Pablo Picasso e Salvador Dalí.

Situação política

Espanha é uma monarquia constitucional. Em 1975, Juan Carlos tornou-se rei de Espanha. O rei tem imunidade e exerce influência sobre um importante número de assuntos. O parlamento é formado por duas câmaras: o Congresso de Representantes e o Senado. O Congresso tem 350 membros eleitos cada quatro anos. A partir dos 18 anos, todos têm direito a voto. O senado tem 259 membros eleitos pelas províncias. O Congresso elege o primeiro-ministro. José Luis Rodriguez Zapatero é o actual primeiro-ministro espanhol. O seu partido, o Partido Socialista Obrero (PSOE) ganhou as eleições nacionais em 2004.

Na prática, Espanha pode ser considerada uma federação de comunidades autónomas. O poder está descentralizado. As várias comunidades ou regiões têm, por exemplo, uma única educação e sistema de saúde. Mesmo as leis variam. Algumas regiões pretendem maior autonomia do que já têm. Isto aplica-se sobretudo às regiões dominadas politicamente por partidos nacionalistas. Um bom exemplo é o país Basco.

Espanha foi o primeiro país da União Europeia (UE) a referendar a Constituição Europeia. A maioria dos seus habitantes revelou uma atitude positiva com respeito à possível futura Constituição Europeia. No entanto, a Constituição ainda não chegou. Muitos outros países da UE rejeitaram-na.

Economia

Em Espanha a industrialização começou tarde. Durante muito tempo, o país foi predominantemente agrário. Desde os anos 50 que a indústria se vem desenvolvendo. O sector de serviços também cresceu consideravelmente, em particular o turismo que gera bons rendimentos.

Dado o rápido crescimento económico, a estrutura da população trabalhadora mudou. Enquanto que no passado 50% das pessoas trabalhavam na agricultura, agora é apenas uma pequena percentagem (7%). Em todo o país se produz cereais, mas também o vinho e o azeite são importantes produtos de exportação. Além disso, o país exporta cítricos, milho, linho, tabaco e algodão.

As indústrias mais importantes estão localizadas, entre outros lugares, em Barcelona, Madrid, Valência, Vizcaia e Zaragoza. Em especial a refinaria de petróleo e a produção de substâncias químicas, meios de transporte e equipamento eléctrico são importantes ramos da indústria de Espanha. Alemanha, França, Holanda, Grã Bretanha, Itália e os Estados Unidos são importantes parceiros de negócio.

Espanha tornou-se uma das economias mais importantes da Europa. O PIB per capita, a esperança e qualidade de vida são altas. O país é um membro líder da União Europeia. Em 1999, foi dos primeiros países a adoptar o euro como moeda. O tempo do mandato do primeiro ministro Aznar foi um período de liberalização, privatização e desregulação. Isto beneficiou a economia e o desemprego diminuiu. O actual primeiro ministro, Rodriguez Zapatero, quer incentivar a inovação, a pesquisa e o desenvolvimento. Além de que quer combater a fraude e reduzir a intervenção governamental.

Geografia e clima

Espanha está situada no sudoeste da Europa e, com Portugal ocupa a Península Ibérica. A sua superfície total é cerca de 505.990 quilómetros quadrados. Madrid é a capital do país. França, Portugal e Marrocos (separados pelo Estreito de Gibraltar) são os seus vizinhos. No total, Espanha tem uma costa de cerca de 5.000 quilómetros. Os grupos de ilhas Baleares, Canarias e Pitius também pertencem a Espanha, tal como Ceuta e Melila (dois enclaves espanhóis em Marrocos).

Espanha continental é dominada por altos planaltos e cadeias montanhosas como os Pirinéus e a Sierra Nevada. Inúmeros rios nascem nestas montanhas. Exemplos são o Tejo, o Ebro e o Douro.  Madrid é a capital mais alta da Europa. O Mulhacén é o pico mais alto da Espanha continental. Esta montanha está situada na Sierra Nevada e tem 3.482metros de altura. As únicas planícies estão situadas perto das áreas costeiras, por exemplo na Andaluzia. A estas se dá o nome de planícies andaluzas. O Mar Mediterrâneo, o Golfo da Biscaia e o oceano Atlântico são as costas de Espanha.

Devido à paisagem irregular, o clima não é uniforme. Existem grandes diferenças climáticas entre as várias regiões. O interior tem clima continental. Aqui os invernos são frios e os verões quentes Durante o verão as temperaturas podem chegar aos 40 graus centígrados. Na zona oriental de Espanha, na costa, o clima é mediterrânico. Os verões são quentes e secos e os invernos temperados. Não chove muito aqui. A costa norte tem um clima marítimo moderado.Os verões são frescos e os invernos temperados. Há bastante chuva e, por isso, a paisagem desta região é verde. Os verões não são muito quentes e os invernos são frios. As Ilhas Canarias têm um clima sub-tropical. O sol brilha todo o ano. No verão, a temperatura média é de 27 graus centígrados e no resto do ano, a temperatura média é cerca de 22 graus centígrados. Isto faz com que as ilhas sejam um destino de férias popular para muitos turistas.

Trânsito e infra-estrutura

Espanha tem cerca de 100 aeroportos. Não menos de 33 aeroportos têm voos internacionais. Aeroportos importantes são Bajaras em Madrid e o Aeroporto de Barcelona. É uma companhia estatal e oferece voos tanto nacionais como internacionais. Outros importantes aeroportos internacionais são Aeroporto de Alicante, Aeroporto de Gerona, Aeroporto de Málaga, Aeroporto de Sevilha, Aeroporto de Valência.

A rede ferroviária é regulada pela companhia estatal REBFE. A rede total cobre cerca de 13.000 quilómetros de carris. Comparados com o resto da Europa, os bilhetes de combóio são baratos. Há ligações ferroviárias entre praticamente todas as cidades espanholas. Estes combóios viajam em média à velocidade de 200km/h, o que significa que chega ao destino rapidamente. Em várias cidades pode também viajar de metro.

Espanha tem muitas companhias rodoviárias, tanto públicas como privadas. A qualidade de serviço é frequentemente alta. Entre as cidades as ligações são boas, mas nas zonas rurais há menos autocarros. Aos domingos, há ainda menos. Viajar de autocarro é barato e razoavelmente confortável.

Muitas auto-estradas têm portagem. A rede de estradas cobre cerca de 317.000 quilómetros, 2.000 dos quais recentemente adicionados. A auto-estrada principal vai de França a Alicante. Conduz-se pela direita.

Barcelona, Valência, Palma de Maiorca, Málaga, Cádiz, Las Palmas e Tenerife têm os portos mais importantes de Espanha. Transmediterranea é a companhia de ferry mais importante. Estes viajam para as Baleares, norte de África e Ilhas Canarias, entre outros lugares.

Zona horária

Espanha tem a zona horária de GMT +1 (CET). As Ilhas Canarias (tal como Portugal) têm GMT. No verão, o relógio adianta uma hora.

Comida e bebida

Nem só a paisagem ou o clima são diversificados. A culinária espanhola também oferece grande variedade e é influenciada por várias culturas. Cada região tem as as suas próprias especialidades. Produtos usados em todo o país são o vinho, o queijo, os legumes, arroz e vegetais. A "paella" é um prato famoso feito de arroz e mariscos. As tortilhas espanholas (omeletes de batata) e o gaspacho (sopa fria de tomate) são também comidos em todo lado. As tapas são especialidades espanholas, pequenos snacks que oficialmente servem para fazer a ponte entre o almoço e o jantar. As tapas também chegaram ao estrangeiro e em vários países existem bares de tapas. Os pratos espanhóis são geralmente simples, mas a qualidade é alta e os alimentos frescos.

Espanha éconhecida pelos seus vinhos deliciosos. Um vinho típico é, por exemplo, a sangria (vinho de fruta). Também o Rioja é servido em todo lado. Muitos espanhóis bebem vinho de mesa barato com as refeições. Outras bebidas espanholas famosas são a Horchata (bebida de leite) e a Clara (cerveja misturada com refrigerante). De uma forma geral, a cerveja espanhola não é muito forte. Estão disponíveis cervejas tanto espanholas como estrangeiras.

Em Espanha é costume fazer duas refeições quentes por dia.O almoço por volta das 15.00 e o jantar faz-se por volta das 21.00h. Deve ter isto em conta quando procurar um restaurante. As gorjetas estão normalmente incluídas na conta. É, no entanto, costume deixar uma pequena quantia na mesa.

Alojamento

Dado o grande número de turistas, há suficientes hotéis para todos os gostos. A qualidade é razoável e será frequentemente recebido de forma calorosa. Os parques de campismo variam de muito simples a muito luxuosos. As albergues de juventude são uma forma relativamente barata de alojamento. Não existem muitos hostels em Espanha mas encontra-se um número suficiente nas maiores cidades. Também se pode alugar casas de férias através de organizações ou particulares. Uma forma de alojamento absolutamente espanhola é os "paradores". Pertencem ao estado e permitem conhecer a cultura tradicional espanhola. Os paradores estão frequentemente localizados em lugares lindíssimos e em edifícios tanto históricos como modernos.

Fontes externas

Para mais informações sobre Espanha, recomendamos Google  e as seguintes fontes externas: