Ligue grátis:
☎ +49 89 244473 702 (International)
Autohuur Namibië Car rental Namibia Mietwagen Namibia Autohuur Namibië Biluthyrning Namibia Location de voitures Namibie Alquiler de coches Namibia Autonoleggio Namibia Billeje Namibia Bilutleie Namibia Autovuokraamo Namibia Aluguer de carros Namíbia Wypożyczalnia samochodów Namibia Autovermietung Namibia Mietauto Namibia
Aluguer de Carros Namíbia

Aluguer de Carros Namíbia

Início

EasyTerra Aluguer de Carros Namíbia é uma empresa independente. O nosso sistema compara as tarifas de empresas de aluguer de automóveis bem conhecidas em Namíbia, assegurando assim que consegue reservar um automóvel de aluguer económico.

Onde deseja alugar automóvel?

Entrega noutro lugar?

Onde deseja entregar o seu carro alugado?

Data de recolha
às
Data de entrega
às
Pesquisar
Grandes Marcas. Enorme Escolha. Grande Poupança!

Namíbia: Cidades

EasyTerra Aluguer de Carros Namíbia compara as tarifas de aluguer de carros nas seguintes cidades:

Informação de lugar para Namíbia

Aluguer de automóveis Namíbia
Aluguer de automóveis Namíbia

Introdução

Namibia é um fascinante país no sudoeste de África. A terra é seca, quente e extraordinariamente bela. Do ponto de vista político a Namibia tem sido bastante pacífica desde que ganhou a independência em 1990.  Muitas comunidades diferentes vivem em conjunto neste país espaçoso. Tudo isto torna muito interessante uma visita ao país. No seu centro fica a capital Windhoek. Outras cidades importantes são Walvisbaai Luderitz Swakopmund.

A paisagem oferece vistas panorâmicas magníficas. Flora namíbia surpreendente é a kokerboom e a welwitschia. A primeira é um gigante aloe. A welwitschia é uma das plantas mais estranhas do planeta. A sua idade média é quinhentos anos mas também pode ter dois mil anos ou mais. O animal maior do mundo anda em solo namíbio: o elefante africano de savana. Actualmente, o ecoturismo é a maior fonte de rendimento da Namibia. Os elefantes de savana e muitos outros animais selvagens podem ser vistos em reservas. À noite os turistas podem alojar-se em parques rodeados por milhares de quilómetros de natureza virgem. 

História

Pinturas rupestres em grutas dão testemunho dos primeiros habitantes da zona agora conhecida como Namibia. As pinturas datam de há 29.000 anos até 1.500 anos atrás. As primeiras comunidades de língua bantu chegaram ao norte da Namibia entre 0 e 500 DC. É geralmente aceite que os San ou Homens da Savana foram os primeiros a habitar a terra. Este povo ainda vive na Namibia. 

O primeiro europeu a pisar a costa foi o português Diogo Cão. Em 1485 ancorou na costa da Namibia, ergueu uma cruz e seguiu viagem ao longo da costa de África. O deserto da Namibia formava uma barreira natural razão pela qual todas as expedições ficavam na costa. 

Durante o século XVI os Herero e os Owambo migraram para a Namibia. Em seguida, as tribos Nama chegaram do sul durante a segunda metade do século XVIII. Durante esse mesmo período, os Kavango estabeleceram-se no norte. As vários tribos da Namibia estão descritas no capítulo "Sociedade e cultura".

Em 1793, as autoridades holandesas do Cabo apoderaram-se de Walvisbaai. No final do século XVIII, os britânicos substituiram os holandeses. Nem uns nem outros penetraram no interior.

No século XIX os missionários europeus descobriram o interior. Foi assim que a Namibia ficou sob o domínio alemão. Durante esse tempo o país teve o nome de "Sudoeste de África Alemã". Walvisbaai, o porto mais importante ficou sob o domínio britânico. A população nativa resistiu veementemente contra a opressão alemã. Entretanto, um grande número de alemães estabeleceu-se na nova colónia. Um daz razões para isto foi a descoberta de diamantes. Os alemães tiraram terra os nativos resultando num endurecimento de relações entre eles. 

As revoltas da população nativa resultaram em 1904 nas guerras dos Herero e Namaqua. O famoso Hendrik Witbooi comandou a população Namaqua na sua guerra contra os opressores. A guerra veio a terminar com o genocídio dos Herero e Namaqua. Respectivamente oitenta e cinquenta por cento das comunidades morreram neste massacre.

Durante a Primeira Guerra Mundial, a Namibia acabou nas mãos dos sul-africanos. Manteve-se um mandado até depois da Segunda Guerra Mundial. A África do Sul vislumbrou a sua oportunidade e anexou a Namibia. Uma vez mais, a população não se resignou com o seu destino. Em 1966 foi fundado o braço armado da SWAPO (Organização do Povo do Sudoeste de África). Este grupo de guerrilha, chamado Exército de Libertação do Povo da Namibia, iniciou uma guerra pela independência. Só em 1988 é que a África do Sul acordou uma retirada da Namibia. A independência propriamente dita chegou em 1990. Em 1994, a África do Sul acabou por entregar Walvisbaai. 

Sociedade e cultura

Há diferentes comunidades na Namibia. OwamboKavangoDamaraNamaCaprivi, SanBaster e Tswana todos vivem neste país. Ao longlo do tempo, desenvolveram inter-relações que deram origem a uma nlova minoria. Seis por cento da população é branca.

Os San são o grupo mais antigo. Também são chamados  Homens da Savana. Característica deles é o seu gosto pela música e pela dança. A palavra "san" significa "estrangeiro". Este nome foi-lhes dado pelos seus rivais, os Khoikhoi. É por esta razão que preferem ser chamados Homens da Savana.Os Nama vivem no sul. Chegaram à Namibia durante o século XIX. No passado eram também referidos como Hottentots. Costumavam viver perto do Rio Orange, mas a descoberta dos diamantes fê-los migrar para o norte. Têm longa tradição oral de poesia e contos. Também para este povo a música é uma parte importante da sua identidade.

Os mais numerosos de todos são os Owambo. Quase metade da população namibia pertence a este grupo. Existem oito sub-tribos. Todas têm os seus reis e línguas. Porque as línguas se parecem entre si, estão todas classificadas como pertencendo à família da língua dos Oshiwambo.  

Apesar do genocídio de 1904, ainda existe um pequeno grupo de Herero. Este povo está intimamente relacionado com os Himba que também vivem no país. Desde sempre que estes povos são pastores. As suas línguas, o otijherero e o zemba são muito semelhantes. Originalmente, tanto os Herero como os Himba usavam pouca roupa. Actualmente as mulheres himba ainda usam uma espécie de pequena saia . As mulheres herero, pelo contrário, chegaram a usar roupa estilo vitoriano por causa dos frequentes contactos com europeus.

Os Damara habitaram a zona provavelmente antes da chegada dos Nama e Herero, nos séculos XVIII e XIX. Originalmente este grupo veio da Zâmbia ou Zimbabwe. Hoje em dia, mais de cem mil Damara vivem na Namibia. 

Os Baster vivem em Rehoboth, uns noventa quilómetros a sul de Windhoek. Descendem dos colonos europeus, principalmente de holandeses, e de comunidades africanas Khoisan. Estas comunidades são constituidas por khoikhoi e san. Há cerca de 35 mil baster a viver numa área de 14 mil quilómetros quadrados.

Na região Caprivi vivem as comunidades Caprivi. Este é um termo genérico usado para todas as diferentes tribos que aqui vivem e que podem diferir substancialmente umas das outras.

A Namibia é o país mais escassamente povoado do mundo, apesar do grande número de tribos. Menos de dois milhões de pessoas habitam a Namibia, e a maioria vive nas zonas rurais.

Há tantas línguas quanto as diferentes tribos. A língua oficial é o inglês. No entanto, menos de um por cento da população sabe falar inglês. Os diferentes grupos usam o africano para se comunicar entre si. Um grupo considerável fala  as línguas nama e damara, herero e kavango. 

Além das religiões africanas tradicionais, o cristianismo está amplamente espalhado na Namibia. Oitenta por cento da população adere a esta religião. Muitos nama se converteram ao islamismo. São hoje o maior grupo muçulmano na Namibia.

Situação política

Desde 1990 que a Namibia é uma república dividida em treze distritos. O actual presidente é Hifikepunye Lucas Pohamba. O partido governante é a SWAPO. Em 2005, Pohamba fez o seu juramento sucedendo a Sam Nujoma, o primeiro presidente da república da Namibia independente. O país aderiu às Nações Unidas e à União Africana. A Namibia é um país pacífico. 

Um dos objectivos do governo da SWAPO é a redistribuição de terra à população. Devido ao passado colonial, três quartos da terra estão nas mãos de apenas vinte por cento da população. O processo de redistribuição de terra marcha lentamente, pois a constituição apenas permite a venda da terra quando o dono dá autorização.

Economia

A economia da Namibia gira principalmente em torno do minério e da manufactura. Embora só um por cento do solo possa ser cultivado, quase metade da população obtém o seu rendimento do sector agrícola. A taxa de desemprego é muito alta. Trinta a quarenta por cento da população está desempregada. A desigualdade de salários é muito elevada. 

Devido à sua história em comum, as economias da África do Sul e da Namibia estão intimamente -ligadas. A Namibia é o quinto maior produtor de urânio. Além disto, é o principal fornecedor de diamantes de qualidade. A terra contém uma massa de chumbo, prata, estanho e tungstênio.

O turismo é uma recente fonte de rendimento para a Namibia. Anualmente, cerca de um milhão de pessoas visita o país. Os turistas vêm principalmente da África do Sul, Alemanha, Grã Bretanha, Itália e França. A Namibia é conhecida pelo ecoturismo. Como principal atracção estão as suas reservas de vida selvagem com muitas espécies animais.

A moeda namibia é o dólar.

Geografia e clima

A Namibia cobre 824.268 quilómetros quadrados de terra e fica no sudoeste do sul de África. O país faz fronteiras com Angola, Zâmbia, Botswana e África do Sul. A ocidente está o oceano Atlântico. Entre Angola e o Botswana há uma pequena faixa de terra com aproximadamente trinta quilómetros de largura. Esta faixa Caprivi pertence à Namibia. A área ganhou o nome de um Chanceler alemão Georg Leo von Caprivi di Caprara di Montecuccolli. A faixa Caprivi foi o palco da guerra da independência travada entre 1960 e 1990. O Exército de Libertação Caprivi queria ficar separado da Namibia. Actualmente a região é basicamente constituida por Parques Nacionais.

A paisagem pode ser dividida em várias zonas com as suas respectivas características. Ao longo do oceano Atlântico está o Deserto da Namibia.O Deserto do Kalahari estende-se ao longo da fronteira com o Botswana. Na Namibia central existem zonas de savana e floresta. Estas transformam-se em selvas luxuriantes a nordeste.

Cinco grandes rios atravessam o país. O Kunene, o Kuando e o Zambeze formam fronteiras naturais com o Botswana e a Zâmbia. Os primeiros três rios nascem em Angola. O último tem origem na Namibia. O rio Orange corre através do sul. Este rio nasce em Drakensbergen, na fronteira entre a África do Sul e o Lesoto acabando por formar fronteira entre a África do Sul e a Namibia. No sul está também o Brandberg. Esta montanha é a mais elevada do país. O seu pico atinge 2.579 metros de altura.

A sul fica o extasiante Desfiladeiro Fish River, rodeado por precipícios.

A Namibia é o único país no mundo que inclui na sua constituição a proteção e preservação da sua paisagem.

O clima é árido. Osmeses mais quentes são Janeiro e Fevereiro. A temperatura média ronda os trintas graus. Durante o inverno, de Maio a Setembro, a temperatura varia entre - 6° C à noite e 20° C durante o dia. Geralmente os dias no inverno são limpos e cheios de sol. A maioria das chuvas ciaem no verão.

Trânsito e infra-estrutura

As estradas namibias podem muitas vezes ser horríveis. Aos visitantes que querem viajar entre aldeias e fora das grandes cidades recomenda-se que levem pneus sobressalentes. A rede viária liga a Namibia aos países vizinhos Angola, Botswana, África do Sul, Zimbabwe e Zâmbia. 

O transporte em autocarro é limitado. De Windohoek há autocarros para Joanesburgo e Cidade do Cabo. Mini autocarros ligam Oshakai a Keetmanshoop.

A rede ferroviária é escassa. A via principal vai da fronteira com a África do Sul, através de Keetmanshoop, até Walvisbaai. Depois segue para Windhoek, Okahandja e Swakopmund. As cidades Omaruru,Otijwarongo, Otavi, Tsumeb and Grootfontein estão também ligadas por combóio.

Walvisbaai e Luderitz são os principais portos da Namibia. Particularmente a indústria de peixe de Walvisbaai dá uma considerável contribuição à economia do país.

Há oito aeroportos na Namibia. Os viajantes vindos de fora do país chegam ao Aeroporto Internacional de Hosea Kutako, que fica a cerca de cinquenta quilómetros para sul de Windhoek.

Comida e bebida

Os visitantes ficarão provavelmente surpreendidos com a comida. Um dos ingredientes da cozinha namibia são insectos. Uma delícia popular entre a população rural e também urbana é a lagarta. Em oshiwambo, a língua mais falada,  insecto diz-se omagungu. O omagungu é frequentemente servido com papa de milho. 

Muitas comunidades têm a sua forma especial de cozinhar e os seus ingredientes populares. Vegetais comidos com frequência são abóbora, pimento e cebola. Os colonialistas introduziram as suas próprias comidas. Os alemães trouxeram os pastéis doces e a carne. As salsichas vieram com a Oktoberfesten em Outubro onde a cerveja e o vinho abundam. Da África do Sul vem o Boerworst: a salsicha do campo.

Bebidas típicas da Namibia são, por exemplo, o walende e o mataku. A primeira é palma destilada. Quemconseguiu encontrar mataku bebeu vinho feito de melão. 

Zona horária

A hora na Namibia é GMT/UTC + 1. No verão a hora é GMT/UTC + 2, mas  atrasa outra vez  no inverno.

Alojamento

Como o turismo é uma nova fonte de rendimentlo, há hotéis climatizados e bem mantidos na Namibia.

O ecoturismo é também muito popular. Os turistas podem passar a noite em cabanas ou tendas primitivas. Recomenda-se acampar nos Parques Nacionais. Há muitos acampamentos. É fortemente desaconselhável o campismo selvagem. É também possível alojamento em quintas, tanto em tendas como nas casas.

Nas cidades há possibilidade de alojamento bed & breakfast. 

Fontes externas

Para mais informações sobre a Namibia, recomendamos Google e as seguintes fontes: