Ligue grátis:
882 880100
Autohuur Tsjechië Car rental Czech Republic Mietwagen Tschechische Republik Autohuur Tsjechië Biluthyrning Tjeckien Location de voitures République tchèque Alquiler de coches República Checa Autonoleggio Repubblica Ceca Billeje Tjekkiet Bilutleie Tsjekkia Autovuokraamo Tšekin tasavalta Aluguer de carros República Checa Wypożyczalnia samochodów Czechy Autovermietung Tschechische Republik Mietauto Tschechische Republik
Aluguer de Carros República Checa

Aluguer de Carros República Checa

Início

EasyTerra Aluguer de Carros República Checa é uma empresa independente. O nosso sistema compara as tarifas de empresas de aluguer de automóveis bem conhecidas em República Checa, assegurando assim que consegue reservar um automóvel de aluguer económico.

Onde deseja alugar automóvel?

Entrega noutro lugar?

Onde deseja entregar o seu carro alugado?

Data de recolha
às
Data de entrega
às
Pesquisar
Grandes Marcas. Enorme Escolha. Grande Poupança!

República Checa: Cidades

EasyTerra Aluguer de Carros República Checa compara as tarifas de aluguer de carros nas seguintes cidades:

Informação de lugar para República Checa

Aluguer de automóveis República Checa
Aluguer de automóveis República Checa

Introdução

A República Checa é um lindo país com uma natureza impressionante. A paisagem é formada por extensas florestas, colinas verdes e altas montanhas. Aqui pode fazer passeios em bicicleta e caminhadas. Também é possível descansar num tranquilo parque de campismo perto da água. As cidades na República Checa têm extraordinárias igrejas, palácios, castelos e fortalezas históricas. Na capital Praga existe uma série de coisas para ver e fazer. Há inúmeros museus, teatros, lojas, galerias e monumentos. A República Checa é surpreendentemente moderna e, sobretudo, barata. Em resumo: um atraente destino de férias para jovens e idosos.

História

A actual República Checa estendia-se por três regiões: Boémia, Morávia e Silésia. Até ao Século I antes de Cristo, estas regiões foram ocupadas por Celtas. No século VI antes de Cristo, os eslavos vindos do oriente e norte, entraram no país e instalaram-se ao longo do rio Moldava ("Vltava"). Cerca de 830, o soberano Mojmír I estabeleceu o Grande Estado Morávio, a que pertenciam principalmente a actual República Checa e a Eslováquia. Uma grande parte da população converteu-se ao cristianismo. 

No século X depois de Cristo, o Estado foi atacado pelos húngaros sendo posteriormente dividido entre vários países: Hungria, Boémia, Polónia e o Sagrado Império Romano. A dinastia dos Premyslids chegou ao poder e governaram os checos na Boémia e Morávia. Não muito mais tarde, a Morávia e a Silésia também ficaram sob a coroa. Nessa época, a Boémia conjuntamente com a capital Praga formavam o centro cultural e político do Sagrado Império Romano. 

No período que se seguiu, o país entrou em crise. Sob a presidência de John Hus a população resistiu contra a forte influência alemã. Em 1419, estalaram as guerras hussitas e os alemães foram expulsos da cidade. A população também queria mais liberdade religiosa. A revolução durou até 1438. A partir de 1526, a Boémia caiu sob o regime dos Habsburgos. O Imperador Fernando I fortaleceu a igreja católica. Quando Rodolfo II se tornou imperador (em 1575), um novo período de crescimento chegou a Praga. O sucessor de Rodolfo II, chamado Fernando II, não mostrou tolerância com os protestantes e estes revoltaram-se. Em 1618, estalou a Guerra dos Trinta Anos. A guerra causou imensos danos e o Estado Boémio entrou em decadência. Só no século XVII é que a economia do país se recuperou.

O século XIX caracterizou-se pela crescente consciência nacional por parte da população checa. Conseguiram mais liberdade religiosa e a língua checa foi permitida nas escolas. Cresceu gradualmente o interesse pela cultura, história e língua checa. Em 1861, o checo tornou-se a segunda língua oficial na Boémia. O checos lutavam pela sua autonomia, enquanto que os alemães queriam governar o Estado Habsburgo. Em 1918, os checos conseguiram o que desejavam: uma República Independente Checa. Masaryk foi o primeiro presidente. A república era formada por diferentes povos, nomeadamente, checos, alemães, eslovacos, húngaros e rusins.

A independência da Checoslováquia terminou com a Segunda Guerra Mundial. A Alemanha ocupou a Sudetenland, a Boémia e a Morávia. Após a Guerra, o estado recuperou a sua independência. Em 1948, o golpe comunista tornou a Checoslováquia numa república popular. Em 1968, o reformista Alexander Dubek tornou-se líder do partido comunista. Sob o seu regime, teve início um período de liberalização. No entanto, esta jovem democracia não era do agrado dos países vizinhos. As tropas do Pacto de Varsóvia ocuparam a república restabelecendo o comunismo tradicional. A partir desse momento tiveram lugar diferentes manifestações. A população queria mais direitos e mais liberdade.

Em 1989, iniciou-se a Revolução de Veludo onde milhões de cidadãos entraram em greve. Finalmente a revolução teve lugar sem qualquer violência (o seu nome baseia-se neste facto). O regime comunista foi derrubado. Havel foi eleito pelo parlamento como novo presidente. A relação entre os eslovacos e os checos piorou. Os eslovacos sentiam-se inferiores. Depois que o parlamento eslovaco declarou a soberania em 1992, a República Checa e a Eslováquia mantiveram-se como estados separados a partir de 1993. Havel tornou-se presidente da República Checa. A democratização continuou e, nesse mesmo ano, a República Checa tornou-se membro das NU. O país aproximou-se do ocidente. Em 2004, a República Checa aderiu à UE. Em 2003, o Primeiro-Ministro do país, Václav Klaus, sucedeu a Havel como presidente.

Sociedade e cultura

A República Checa tem mais de dez milhões de habitantes, dos quais 81% são checos e aproximadamente 13% morávios. Os morávios são também habitualmente considerados parte da população checa. Muitas outras nacionalidades vivem na República Checa, tais como, eslovacos, alemães, húngaros e polacos. Os romenos (ciganos) formam uma pequena percentagem da população. Apesar da população ter decrescido por muito tempo desde os anos 90, actualmente o total da população está a crescer. Isto deve-se ao facto do número de pessoas que vêm viver para a República Checa é superior ao número de habitantes que sai do país.

A maioria dos crentes na República Checa é católica (cerca de 40%). Aproximadamente 400.000 habitantes são membros da Igreja Hussita. Uma percentagem mais pequena da população é protestante. O país também tem judeus, budistas e muçulmanos. Uma grande parte da população é ateia. Poucas pessoas vão à igreja com frequência.

Uma grande porção da população fala checo (97%). Tal como as línguas polaca e eslovaca, o checo é uma língua eslovaca ocidental. É um dos idiomas mais antigos da Europa e falado por aproximadamente doze milhões de pessoas. Muitos checos também falam alemão e inglês.

A República Checa é conhecida pela sua grande quantidade de monumentos históricos. O país tem mais de 2.700 palácios e castelos. Tem também belas catedrais góticas. Em diferentes cidades existem importantes edifícios culturais. Por isso, algumas cidades tais como Telc, Cesky Krumlov, Kutna Hora e Praga estão na Lista de Património Mundial da UNESCO. Encontram-se teatros e museus por toda a parte no país. Dado que a República Checa foi um país católico, celebram-se muitas festas cristãs. É especialmente importante o Natal e a Páscoa. Celebram-se também feriados típicos checos, tais como a expulsão do inverno, a 30 de Abril e a comemoração de John Hus, a 6 de Julho.

A República Checa tem alguns escritores e compositores conhecidos. Exemplos de escritores checos são Franz Kafka e Vaclav Havel. Três grandes compositores checos são Antonín Dvoák, Bedich Smetana e Leoš Janáek. Para concluir, a República Checa é conhecida pelos seus centros de saúde. Amplamente espalhados pelo país, existem mais de quarenta centros de saúde mundialmente famosos que têm como base fontes minerais e termais. As pessoas crêem que estas fontes têm acção terapêutica.

Situação política

A República Checa é uma república com uma democracia parlamentar. O poder legislativo está nas mãos do parlamento. Este é constituído por duas câmaras: o Senado e a Câmara de Representantes. O Senado tem 81 membros e a Câmara de Representantes 200 membros. Os membros do Senado são eleitos por um período de seis anos; os membros da Câmara de Representantes por quatro anos. O primeiro-ministro é o Chefe de Estado.

O presidente detém o poder executivo. Desde 2003 que Václav Klaus é o presidente do país. Foi eleito por cinco anos por uma maioria de ambas câmaras. O presidente elege os ministros, é presidente do Banco Central e tem o poder de conceder um indulto.

A República Checa tem um sistema multi-partidário. Isto significa que vários partidos políticos podem participar nas eleições. Desta forma fica o poder político dividido. Importantes partidos de esquerda são "Partido Comunista de Boémia e Morávia" e "Partido Social-Democrata Checo". Partidos de centro são "União Democrática e Cristã do Povo da Checoslováquia" e "Partido Verde". Dois importantes partidos de direita são "Partido Democrático dos Cidadãos" e "SNK Democratas Europeus". Em 2006, o"Partido Democrático dos Cidadãos recebeu o maior número de votos.

Todos os checos com mais de 18 anos têm direito a voto. A partir dos 21 anos os cidadãos podem ser eleitos para a Câmara de Representantes. O limite de idade para o Senado é mais alto: a partir dos 40 anos.

Economia

O presidente da República Checa é um apoiante da livre economia de mercado. Desde 1991 que a economia do país tem sido privatizada em grande parte. Para estimular a livre economia de mercado, os preços foram liberalizados. Embora a princípio tenha gerado inflação, em seguida o nível de preços baixou a um nível aceitável. A economia checa pode ser considerada estável e desenvolvida.

Os investimentos estrangeiros constituem um importante aspecto da economia checa. A maior parte dos investimentos (75%) é originária de países UE. A indústria de serviços financeiros é um sector especialmente atraente para as companhias de investimento estrangeiro. Os investidores beneficiam de uma população trabalhadora com boa educação formada por cerca de 15 milhões de habitantes. Uma grande percentagem trabalha no sector industrial.

Apenas uma pequena percentagem da população de empregados trabalha na agricultura. Muitas empresas neste sector são privatizadas. A produção destina-se principalmente ao consumo interno. A colheita não é suficiente para todo o país e além da produção própria, a República Checa também importa vários produtos agrícolas tais como, beterraba doce, batatas, trigo e lúpulo.

A indústria constitui um importante sector na economia checa. Um ramo industrial estratégico e importante é a indústria química. Especialmente a indústria de químicos industriais produz elevadas receitas. Outras indústrias importantes são: maquinaria, metal e produção de ferro e aço. Dois exemplos de produtos industriais importados são químicos industriais e fibras sintéticas. Produtos de exportação são vários agentes químicos, tais como detergentes.

A livre economia de mercado fez crescer a indústria de serviços. Estabeleceram-se muitas empresas e o turismo também aumentou. O sector bancário foi privatizado. Uma grande parte pertence a investidores estrangeiros. Também o comércio é muito importante para a economia checa. A principal actividade comercial é feita com países da UE e CEFTA (Acordo Centro Europeu de Comércio Livre). Cerca de 30% dos produtos de exportação destinam-se à Alemanha. A Eslováquia e a Rússia são também importantes parceiros comerciais. Exporta-se maquinaria, metal e electrónica. Importam-se bastantes produtos químicos, máquinas e equipamento de transporte.

A República Checa não trabalha com o euro. A moeda legal é a coroa. Uma coroa (Kc) equivale a 100 helaru. Um euro equivale aproximadamente a 30 coroas.

Geografia e clima

A República Checa está situada na Europa Central e é um país relativamente pequeno. A sua superfície total é cerca de 79.000 km2. A norte faz fronteira com a Polónia, a oriente com a Eslováquia, a ocidente com a Alemanha e a sul com a Áustria. O país não está perto do mar. As duas regiões importantes são a Boémia (ocidente) e a Morávia (oriente).

A República Checa é constituída por várias regiões com planícies baixas que estão separadas por altas montanhas. A paisagem é caracterizada por pequenas colinas, extensas florestas, pastagens e áreas irrigadas. A sudoeste ao longo da fronteira fica a Floresta Boémia. Esta é uma baixa cordilheira de montanhas com cerca de 200 quilómetros de comprimento. A cordilheira entra na Alemanha e Áustria. Outras cordilheiras são as Montanhas Erz, a noroeste e as Montanhas Sudeten na fronteira com a Alemanha e Polónia. A cordilheira Sumava é a maior reserva natural da Europa Central. O rio Moldava nasce nesta zona. Nas montanhas Gigantes, na fronteira com a Polónia, nasce o rio Elba. O ponto mais alto da República Checa (1.601 metros), montanha Nevada, também fica nesta área.

A capital do país é Praga (na Boémia Central). É uma linda cidade com uma cultura rica. Tem muitos e belos edifícios, castelos e igrejas, bem como museus e teatros. Os arredores da cidade são a área mais densamente povoada da República Checa. Só em Praga vive mais de um milhão de checos. Depois de Praga, Brno é a maior cidade do país. Esta cidade na Morávia Sul tem cerca de 400.000 habitantes. A cidade Cesky Krumlov é conhecida pelos seus edifícios históricos. Outras cidades na República Checa são Ostrava, Pilsen, Olomouc, Kutna Hora, Telc, Ceske Budejovice e Pardubice.

A República Checa tem um clima central europeu. A oriente a influência do continente é maior o que produz grandes diferenças de temperatura entre verão e inverno. A maior parte das chuvas cai no verão. Os vales da Boémia têm a precipitação mais baixa. As áreas de montanha ficam cobertas de neve no inverno. Nas zonas baixas de vez em quando cai chuva e neve. Julho é o mês mais quente do ano com uma temperatura média entre 18 e 21 graus Célsius. As temperaturas também podem subir até os 30 graus Célsius. Janeiro é o mês mais frio, com uma temperatura média abaixo de zero. As temperaturas na Morávia são frequentemente mais elevadas do que na Boémia. A Morávia também tem menos precipitação. Praga é relativamente quente e seca devido à sua localização na bacia de vários rios.

Trânsito e infra-estrutura

Há diferentes formas de chegar à República Checa. De Praga saem vários comboios internacionais. Também é possível viajar de comboio dentro do país. A rede ferroviária está a cargo de eské dráhy (CD) e tem uma extensão total de 9.500 quilómetros. A maior e mais importante estação ferroviária, Praha hlavni nádraží, está em Praga. É muito barato viajar de comboio na República Checa.

Outra forma de chegar é de autocarro. No entanto, a viagem demora muito mais tempo do que de avião. Há muitas linhas de autocarro. Especialmente em Praga, há inúmeros autocarros de cidade. Além destes, a cidade também oferece metro e eléctricos. Viajar de eléctrico é igualmente possível nas cidades de Brno, Pilsen, Liberec, Olomouc e Ostrava.

O aeroporto Ruzyn em Praga é o maior aeroporto da República Checa. Outros aeroportos internacionais estão em Brno, Ostrava, Karlsbad e Pardubice. A CSA Czech Airlines é a companhia aérea nacional. O avião é pouco usado para viajar dentro da República Checa pois é muito mais barato o comboio, o autocarro ou o carro e as distâncias são razoáveis.

A rede viária da República Checa tem aproximadamente 55.000 quilómetros dos quais apenas 500 quilómetros são auto-estradas. No entanto, a qualidade das estradas principais é muito boa e as estradas regionais e locais são frequentemente de boa qualidade. A velocidade máxima nas auto-estradas é de 130 km/h e nas estradas principais 90 km/h. Nas áreas urbanas a velocidade máxima é de 50 km/h.

Comida e bebida

A cozinha checa tem sido influenciada pelos países vizinhos Hungria, Áustria e Alemanha. Por isso, alguns pratos e especialidades checas, tais como o goulash e o apfelstrüdel (torta de maçã) também se encontram noutros países. Para as receitas típicas, usam principalmente cereais, feijão, batatas e carne. No passado, podiam cultivar-se estes ingredientes. Existem alguns pratos checos únicos tais como as massas, que são feitas de mistura de leveduras ou de batatas cozidas ou cruas. São geralmente servidas como acompanhamento. As bramboráky são bolinhos de batata assada e o topinky é pão torrado. Comem pouco peixe. Os checos também comem mais carne do que vegetais.

A cerveja (lager) é a bebida favorita dos checos. Dizem que este tipo de cerveja é oriundo da cidade Pilsen. A cerveja (pivo) não é apenas usada como bebida, mas também para confeccionar comida. Os checos bebem em média 150 litros de cerveja por ano. O becherovka é um licor de ervas típico que contém 38% de álcool.

Existem muitos restaurantes na República Checa com pratos internacionais e tradicionais. Jantar fora é relativamente barato. Os restaurantes estão geralmente abertos até às 23:00 e a maioria fecha às segundas-feiras. É comum deixar gorjeta entre 5% e 12%.

Alojamento

A República Checa tornou-se nos últimos anos um popular destino de férias. Está bem adaptada aos dois milhões de pessoas que visitam anualmente o país. A qualidade hoteleira é bastante variável. Os hotéis mais luxuosos e caros estão em Praga. Nos limites da cidade encontram-se hotéis mais básicos e baratos. Os muitos albergues (de juventude) oferecem alojamento mais económico. Também existem muitos parques de campismo, mas tal como os hotéis, a qualidade é muito variável. Alguns destes parques de campismo acolhem principalmente visitantes checos. A qualidade é normalmente melhor, mas os preços são mais elevados. Claro que é também possível passar a noite em casas de férias ou pensões. Uma típica casa checa é uma excelente maneira de provar a atmosfera do lar checo.

Zona horária

A República Checa tem uma zona horária de GMT + 1. Esta é a Hora Central Europeia (UTC). Em Março o relógio adianta uma hora.

Fontes externas

Para mais informações sobre a República Checa, recomendamos Google e as seguintes fontes: