Marrocos de aluguer de carros

Poupe tempo e dinheiro. Nós comparamos as ofertas das empresas de aluguer de carros em Marrocos por si.

Para usar este sítio Web, o seu computador precisa aceitar cookies.

Nós comparamos todos os fornecedores mais conhecidos

Aluguer de carros Marrocos

EasyTerra Aluguer de Carros Marrocos é um sítio Web independente de comparação de aluguer de carros. O nosso sistema compara tarifas de empresas bem conhecidas, assim o cliente pode reservar sempre o seu carro connosco a uma tarifa competitiva.

Informação do lugar por Marrocos

Introdução

Marrocos fica na costa norte de África. O número de habitantes é aproximadamente 34 milhões. Marrocos é um reino árabe com fortes influências mediterrânicas. A capital do país é Rabat. Nesta cidade, com mais de 1,7 milhões de habitantes, está a sede do governo.

Quase todos os marroquinos são muslim. O islão é também a religião do estado. Uma importante parte da população marroquina é descendente dos berberes. Muito antes da chegada dos Árabes, este povo já vivia no actual Marrocos.

Além do mar, o país também tem montanhas e até um toque de deserto. As paisagens são frequentemente maravilhosas. A maioria das cidades localizam-se perto da costa. Casablanca, Agadir e Tétouan são cidades costeiras. Muitos cidades marroquinas têm lugares que fazem parte da lista de Património Mundial da UNESCO. Meknes, Marraqueche, Rabat e Fez por exemplo, são conhecidas como as quatro Cidades Reais. Uma visita às medinas (os centros antigos das cidades) e souqs (mercados) vão estimular os sentidos, pela multidão e o aroma a especiarias.

História

Os primeiros vestígios de habitantes no que é hoje Marrocos remontam ao período neolítico. Por volta de 8000 AC, os Capian habitaram a área do Maghreb. Este povo vivia basicamente da caça. A paisagem era diferente então. Era menos árida e nas zonas mais altas havia florestas como as que encontramos hoje nas regiões mediterrâncias como Itália e Grécia

Cerca de 2400 AC, chegaram os Berberes a Marrocos. A sua civilização estendeu-se desde o oceano Atlântico até ao oásis Siwa no Egipto. A sul habitaram a terra até ao rio Niger. Pela altura da sua chegada, foi introduzida a agricultura em Marrocos. A partir desse momento cultivou-se a terra em Marrocos, chamada então Mauritânia. 

Séculos mais tarde, no período clássico, Marrocos tornou-se uma colónia comercial dos Fenícios. Este povo chegou da zona que hoje é conhecida como Líbano. O peso do poder marítimo fenício durou entre 1200 e 800 AC. Por volta de 1200, os Fenícios fundaram aqui um posto comercial. Após o colapso de Cartagena em 146 AC, Marrocos tornou-.se parte do Império Romano. Quando este Império também caiu, no século V DC, os Vândalos, Visigodos e Gregos Bizantinos conquistaram a área. No entanto, o povo Berbere nas montanhas retiveram os intrusos. As regiões mais altas de Marrocos mantiveram-se nas mãos dos habitantes originais.

Durante o século VII o islão entrou rapidamente no norte de África. Em 683, os Umayyades conquistaram Marrocos. O general Uqba ibn Nafi deu à região o nome Maghreb al Aqsa: Oeste Longínquo. Levou apenas um século para islamizar a zona. Até hoje que Marrocos se mantém um país islâmico. 

O povo Berbere foi influenciado pela cultura árabe. Adoptaram a religião e muitos costumes. Durante o século XI, as tribos berberes destronaram os Árabes e fundaram as suas próprias dinastias.Os Almoravid, os Almohad e Marinid governaram Marrocos sucessivamente. A disnatia Sa'adi acabou por tomar o poder em Marrocos, no noroeste de África e em grandes partes da Península Ibérica. 

No século XVII os Alawites árabes substituiram a dinastia Sa'adi. Durante esse período o império tinha enfraquecido devido a problemas entre Espanha e o Império Otomano. O império persistiu sob o domínio dos Alawites. Perdeu alguma da sua terra mas manteve-se própero.

Os otomanos foram expulsos da Algéria pelos franceses em 1830. O líder algeriano Abd El Kader foi apoiado pelos marroquinos na sua revolta contra os franceses. Nos inícios do século XX, isto conduziu a um acordo entre França, Grã Bretanha e Espanha em dividir Marrocos em três partes. A área à volta de Tânger tornou-se uma zona internacional. Outras áreas tornaram-se ou francesas ou espanholas. Durante os anos vinte do século passado levantou-se uma revolta entre os habitantes do Rif contra os seus opressores, bem como contra os chefes marroquinos que se submeteram aos colonialistas. A revolta foi esmagada.

Em 1934 Marrocos acabou por ficar sob a jurisdição francesa. Os soldados marroquinos combateram pelo General De Gaulle durante a Segunda Guerra. Além disto, em 1943 foi fundado pelos nacionalistas o Partido da Independência (Istqlal). Este partido lutava por Marrocos independente governado pelo Rei Mohammed V. Mas França exilou Mohammed V e fez Mohammed ibn Arafa o novo rei de Marrocos. 

O povo marroquino opôs-se fortemente a estas medidas. O novo rei teve de fugir para Tânger e Mohammed V voltou. Em 1955, tornou-se rei de Marrocos e no ano seguinte Marrocos declarou a sua independência de França. Foram assinados tratados que asseguraram o reconhecimento da independência de Marrocos. No entanto, a Espanha manteve o seu domínio sobre os enclaves nortenhos de Ceuta e Melilla, o enclave meridional de Ifni e o Sahara ocidental.

Quando Marrocos aderiu às Nações Unidas em 1956, Espanha foi forçada a entregar o Sahara Ocidental e Ifni. Mas Espanha decidiu de forma diferente. Descolonizou Ifni mas manteve o Sahara ocidental. 

Em 1961, o Rei Mohammed V morreu. Sucedeu-lhe o seu filho Hassan II. O seu reinado começou turbulentamente e manter-se-ia assim por muito tempo. Em 1963 surgiram conflitos entre Marrocos e a Algéria. Esta guerra foi chamada "Guerra das Areias" e terminou em 1964. Os anos 71 e 72 foram marcados por golpes de estado que falharam e o Rei Hassan II pôde manter o poder. Em 1976, Marrocos voltou a ganhar o controle sobre o Sahara ocidental. Espanha descolonizou esta região.

Em 1999 o rei morreu. O poder passou para o seu filho Mohamed VI, que tenta modernizar o país. É dada atenção a uma melhoria da posição das mulheres. Também se melhorou a situação da população berbere, que tem sido discriminada desde a influência árabe em Marrocos. 

Sociedade e cultura

A maior parte da população marroquina vive a oriente da cadeia montanhosa do Atlas. Aproximadamente três quartos dos marroquinos são descendentes dos Berberes. Metade têm influência árabe. Os berberes foram os primeiros habitantes do Norte de África. A sua cultura data de antes de 2400 AC. Além de Marrocos, também vivem na Algéria e na Líbia. Muitos berberes emigraram para países europeus como Holanda, França e Bélgica.

Desde hámuito que um pequeno grupo de judeus vive em Marrocos. O seu número está a diminuir principalmente porque muitos judeus emigraram para Israel.

Mais de metade dos marroquinos vive nas cidades. Há uma constante migração do campo e das montanhas para as zonas urbanizadas. durante o século VII. Os marroquinos falam um dialecto desta língua. Existem diversas variantes, dependendo

A língua oficial ensinada nas escolas é o árabe standard. Esta língua foi introduzida em Marrocos pelo árabes durante o século VII. Os marroquinos falam um dialecto desta língua. Existem diversas variantes, dependendo da região. Nas cidades a língua foi influenciada pelo andaluz. No noroeste fala-se um dialecto relacionado com as regiões montanhosas. O dialecto beduíno é falado nas planícies no oceano Atlântico. Ouve-se hassani em algumas partes do Sahara. As línguas berberes como o rif são também faladas em Marrocos. O francês é a segunda língua importante na vida pública.

Quase todos os marroquinos são muçulmanos sunnites . Um por cento da população é cristã e um pequeno grupo de judeus vive no país. Constituem 0,2 por cento da população.

Situação política

Marrocos é um estado independente desde 1956. O país é uma monarquia. O actual chefe de estado é o rei Mohammed VI. Ele tem o poder de dissolver o governo. Além de chefe de estado, os reis de Marrocos são igualmente Amir al-muminin: comandantes dos fiéis.Como tal, ele tem um papel moral e espiritual no que respeita os muslims.

O parlamento marroquino tem tido um sistema de duas câmaras desde 1963. É constituido pela Câmara dos Deputados e Câmara dos Conselheiros. Abbas El Fassi é primeiro-ministro do país desde 2007. Os principais partidos políticos e da realeza são Union Constitutionelle de centro direita, o RNI, o PND e o Mouvement Populaire. Partidos da oposição proeminentes são o Istiqlal, o USFP e o UNFP. O partido islâmico Adl wa Lihsane está proibido. 

Marrocos está dividido em 39 províncias. O país tem o estatuto de um membro associado da União Europeia.

Economia

Marrocos ainda é categorizado como país em vias de desenvolvimento. No entanto, tem uma economia bastante estável. O principal parceiro comercial é a França. Um das duas principais fontes de riqueza é a extração de fosfato, particularmente encontrado no Sahara ocidental.

Além disto, o sector agrícola émuitoimportante. Marrocos é um  grandes produtores mundiais de cannabis. Especialmente o norte beneficia docultivo e comércio deste produto. Marrocos é também o maior exportador mundial de amêndoas.

De importância é também a pesca. Marrocos tem omaior mercado de peixe de África. Em troca de ajuda económica, os navios europeus podem pescar em águas marroquinas.

Casablanca é o coração económico do país. Tânger, no norte, é um centro industrial emergente.

O sector turístico é desde há anos um importante empregador. Esta fonte de riqueza cresce notoriamente.

Muitos marroquinos sairam do país durante os anos 50 e 60 do século passado para se tornarem trabalhadores imigrantes em países como a Holanda, Bélgica e França. Muitos nunca voltaram ao Marrocos. Actualmente a segunda geração dos trablhadores originais vivem nesses países.

A moeda de Marrocosé o Dirham.

Geografia e clima

Marrocos ocupa 446.550 quilómetros quadrados. Este país do Norte de África faz fronteira com Algéria a oriente, e a sul com a Mauritânia. A fronteira com a Algéria está fechada desde 1994. A norte, Marrocos faz fronteira com o Estreito de Gibraltar. O Mar Mediterrâneo e o oceano Atlântico fazem também fronteiras com o país.

No norte, e limitados pelo Mar Mediterrâneo, ficam os 350 quilómetros da cadeia montanhosa do Rif.  Estas montanhas estendem-se de ocidente a oriente. O Rif é uma cadeia montanhosa baixa, sendo o seu pico mais alto o Jabal Tidiquin com 2.448 metros.

Nas montanhas do Atlas encontram-se desfiladeiros agrestes, lagos, rios e florestas. As partes mais agrestes estão localizadas no Alto Atlas com picos que atingem 4 mil metros. No Atlas Médio encontram-se paisagens menos extremas, com cedros e quedas de água.

O sudeste de Marrocos é basicamente ocupado pelo Sahara. Este deserto é omaior deserto quente do mundo e estende-se por mais de nove milhões de quilómetros quadrados. 

No Mar Mediterrâneo encontra-se uma área de terra fértil que é extensivamente cultivada. Aproximadamente doze por cento de Marrocos é floresta. 

Em geral o clima de Marrocos é mediterrânico com verões secos e invernos temperados. A cadeia de montanhas do Atlas estende-se ao longo de Marrocos, Algéria e Tunísia. O Iee de Marrocos, que fica no este e sudeste, está na parte com menos chuvas

Trânsito e infra-estrutura

Em Marrocos, as auto-estradas têm portagem. O limite máximo de velocidade é 120 km/h. Todas as grandes cidades como Rabat, Marraqueche, Tânger, Fez e Casablanca estão ligadas entre si por auto-estradas. A condição das estradas é razoável e quase todas estão asfaltadas, com um buraco aqui e ali. 

Há catorze aeroportos comerciais em Marrocos. Aeroportos internacionais como Aeroporto de Casablanca Anfa e Aeroporto de Casablanca Mohammed V ligam Marrocos à Europa, Ásia e Médio Oriente. Do Aeroporto de Tânger e do Aeroporto de Agadir Al Massira, Aeroporto de Fez Saiss e Aeroporto de Marraqueche pode-se voar para vários destinos em e fora de Marrocos.

A ONCF liga a maioria das cidades com a sua rede ferroviária e rodoviária. Os combóios são rápidos e confortáveis. Viajar de autocarro é também agradável, não entre cidades, mas sim dentro da cidade. 

Comida e bebida

A comida marroquina é muitissimo variada. Influências árabes, berberes, espanholas, mediterrânicas e do médio oriente são algumas das muitas culturas que adicionaram os seus ingredientes aos pratos marroquinos. Canela, cominho, pimenta, gengibre, açafrão e curcuma são especiarias muito usadas. São utilizadas para condimentar a carne e os vegetais.Os marroquinos comem muito frango e cordeiro.

Alguns pratos marroquinos são famosos, como por exemplo couscous, haria e tajine. O couscous é muito popular não só em Marrocos como também em países ocidentais. Consiste basicamente em sémola. 

Haria é uma sopa tradicionalmente comida durante o Ramadão.  Importantes ingredientes para fazer a haria são lentilhas, grão e tomates. É uma sopa condimentada com salsa, paprika e coentro.

O Tajine não é tanto o prato, mas sim a panela onde é preparado que tem uma aparência característica. É fechado com uma tampa em forma de cone. Peixe, cordeiro ou frango podem ser estufados no tajine com especiarias como canela, gengibre e cominho. 

Os marroquinos bebem muito chá com menta fresca. 

Zona horária

A hora em Marrocos é GMT/UTC+ 0.

Alojamento

Os hotéis em Marrocos são classificados pelo sistema de estrelas. Especialmente em lugares turísticos como Casablanca, Marraqueche, Agadir e Fez encontram-se hotéis em todas as categorias de conforto e luxo. 

Nas cidades maiores encontram-se alguns albergues e também bed & breakfast. Ambas categorias de alojamento não abundam. A maioria das cidades tem um ou talvez alguns albergues.

Há imensos apartamentos para alugar. Casas e villas podem ser alugadas durante o pewríodo de férias, mas também por um período mais longo. 

Os campistas encontram em Marrocos parques para montar a sua tenda. Não só ao longo das costas do Mediterrâneo e oceano Atlântico, mas também nas Montanhas Atlas e até no Sahara há lugares para acampar. Os parques estão abertos todo ano. Os que gostam de alojamento luxuoso no campismo não estão no lugar ideal. Especialmente as instalações sanitárias deixam muito a desejar. 

Fontes externas

Para mais informações sobre Marrocos, recomendamos Google e as seguintes fontes: